sábado, 28 de abril de 2012

RESULTADO DAS I OLIMPÍADAS DE FILOSOFIA EM PORTUGAL


2012 (Portugal) – Primeiras Olimpíadas Nacionais de Filosofia


1.º Lugar: José Nuno Alves Castela Cardoso Forte – Escola Secundária Doutor Ginestal Machado, Santarém (medalha de ouro)


2.º Lugar: João Pedro Consciência Delgado – Escola Secundária Doutor Ginestal Machado, Santarém (medalha de prata)

3.º Lugar: Elsa Maria Campos Teixeira – Escola Secundária Luís de Freitas Branco, Paço de Arcos (medalha de bronze)


Mais informações AQUI 



Com o apoio da Direção-Geral de Educação - AQUI


Veja AQUI uma notícia sobre o evento

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Colóquio de FILOSOFIA E ENSINO DA FILOSOFIA


I COLÓQUIO - FILOSOFIA E ENSINO DA FILOSOFIA

TRADIÇÃO E DESAFIOS PARA O FUTURO

7 de Maio de 2012

PROGRAMA

Manhã

9.00 h - Receção dos Participantes

9.30 h - Sessão de Abertura

Professor Doutor Leandro Almeida (Presidente do Instituto de Educação da Universidade do Minho)

Professor Doutor Carlos Estevão (Director dos Mestrados do Instituto de Educação)

Doutor Artur Manso (Coordenador do Mestrado de Ensino de Filosofia no Ensino Secundário)

9.45h - 1ª Sessão

Luisa Nogueira - Ensino da Filosofia nos Liceus. Que Ensino? Que Filosofia?

Alexandre Franco Sá - Filosofia e Ensino da Filosofia

Artur Manso - Da Utilidade das Coisas Inúteis ou  porque se deve ensinar Filosofia no Ensino Secundário

11.00 h - Pausa para café

11.15h - IIª Sessão

João Boavida - Pensamento e conhecimento em Filosofia

Paula Cristina Pereira - Filosofia e Espaço Público. O lugar da filosofia na cidade contemporânea

Custódia Martins - A Filosofia e a Arte de Pensar

12.30 h - Pausa para almoço

 14.30 h - IIIª Sessão

Conceição Moreira - O papel do Texto no Ensino da Filosofia

Artur Polónio - Manuais de Filosofia no Ensino Secundário: Para Quê?

João Mendes  - Problemas de consciência: reflexões sobre a deontologia da profissão docente

15.45 - pausa para café

16.00h - IVª Sessão

José António Alves - O Ensino da Filosofia na Universidade Portuguesa: 1930 a 1957

Manuel Curado - A Área do Pensamento Crítico no Ensino da Filosofia

17.30 h - Sessão de Encerramento



-------------


*Local*

Instituto de Educação - Anfiteatro Multimédia

*Secretariado*

Rui Silva: sec-mfip@ie.uminho.pt

253604679

WORKSHOP DE PRÁTICA FILOSÓFICA EM LISBOA








12 de maio de 2012
10H - 18H
Formadoras: Dra. Alice Santos e Dra. Luísa Abreu
(Formação pela APAEF/Associação Portuguesa de Aconselhamento Ético e Filosófico e pelo Professor Oscar Brenifier, Presidente do Institut de Pratiques Philosophiques) 


Local de Realização: Instalações da LanguageCraft
R. Alexandre Herculano, 39, r/c Esq. 1250-009 Lisboa

segunda-feira, 16 de abril de 2012

RESUMO DA CONFERÊNCIA «A FELICIDADE É BRANCA», por Carla Araújo



Os rescaldos de uma Conferência produtiva

Podemos dizer que se a Felicidade tivesse uma cor, ela podia ser branca, na medida em que o branco é o ponto de partida para a as outras cores. Se associar o meu pensamento à simbologia da cor, hoje a minha felicidade pode ser laranja, amanhã posso sentir que a minha felicidade é verde e de hora em hora posso percorrer as cores do arco-íris. Mas será a felicidade um estado permanente, ou somente marcada por momentos finitos e cíclicos? Será uma emoção, ou algo que se enraíza em nós e que está sempre lá, permitindo-nos  ter de vez em quando momentos infelizes?
Para Carlos Drummond de Andradeser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade”. Isto implicaria que se escolhe SER, neste caso, feliz e que a felicidade é verdadeiramente uma espécie de casa onde se vive. Não preciso de motivos para me sentir feliz, sou-o porque o escolhi, assim como quem escolhe uma profissão. Podem é acontecer situações menos agradáveis que me deixam triste, mas esses fragmentos é que se dissipam, não a minha felicidade.
Em que medida podemos educar os nossos jovens para a Felicidade? O Dr. Jorge Humberto Dias, filósofo, consultor ético e investigador na linha da Filosofia política e ética, defende “a felicidade como projeto de vida”. O importante é ter projetos e quantos mais, melhor, pois mais possibilidades ou condições teremos para alcançar a nossa felicidade. A filosofia ajuda-nos nesse processo, de projetar para a vida, com coerência. Eu devo ter uma atitude preventiva, devo pensar antes das coisas acontecerem. Nesta medida, há que ensinar os jovens a projetar, para que com a soma da realização pessoal e de emoções agradáveis eu possa aceder ao caminho da minha felicidade.
François Sagan dizia: “A felicidade para mim consiste em gozar de boa saúde, em dormir sem medo e acordar sem angústia”. A enfermeira e investigadora em Sexualidade Humana, Ana Barroso, ao aliar a saúde à felicidade, transmitiu que “nós somos responsáveis no processo da nossa felicidade”. Ao abordar conteúdos no âmbito da Educação Sexual focou a importância da consciencialização dos jovens para atitudes responsáveis, de autoconfiança e respeito. Se eu for física, social e mentalmente saudável, então serei uma pessoa feliz. Como conseguir sê-lo? Com uma atitude preventiva. Mais uma vez, o pensar antes de agir. Eu faço as minhas escolhas, mas devo fazê-las de modo consciente.
A Felicidade começa em mim, eu sou o ponto de partida. Eu escolho se quero ser feliz. A felicidade é uma escolha.” Saem estas palavras diretamente do discurso do autor do livro “Onde está o Branco em ti?”, Ricardo Antunes. Um livro em que se assiste ao desabrochar de personalidades díspares na mesma faixa etária. Jovens que se encontram na encruzilhada da vida e procuram um sentido para a mesma. Como vemos a vida, as pessoas, o mundo? Em que medida podemos mudar o meio social em que nos inserimos? Onde termina a minha liberdade e começa a do outro? “Só podia encontrar a felicidade se conseguisse subverter o mundo para o fazer entrar no verdadeiro, no puro, no imutável." (Franz Kafka) No fundo, através do olhar de um grupo de jovens adolescentes, o que Ricardo Antunes nos transmite nas linhas do seu romance, é a vontade viva que cada pessoa tem, em determinada altura da sua vida, de melhorar o mundo e a vida, procurar-lhe um sentido, transformar as mentes, encontrar um caminho para a felicidade. O branco pode ser o que há de mais puro ou imutável dentro de nós, pode representar a paz localizada nos nossos corações, a folha de um papel por preencher…
Terminou assim um encontro em que se falou de felicidade, nas mais variadas perspetivas, o que em tempos como os que vivemos, em que basta o simples gesto de ligar a televisão para ouvirmos falar em palavras nefastas como “crise”, “conflito”, “insatisfação”, “desemprego” e tantas outras, é uma verdadeira lufada de ar fresco, uma motivação para dar a volta por cima e tentar encarar a vida com positividade.
A Felicidade é um arco-íris. Tem potencial, é mágica, existe, é palpável.

Curiosidade: Como nasceu a ideia de uma Conferência sobre a felicidade?

Na verdade, tudo começou nas férias de verão. Tenho um hábito que cultivo nas férias grandes, que é o de entrar numa livraria e escolher ao acaso um livro que me pareça indicado para recomendar aos meus alunos como leitura recreativa, motivação para o ato de ler. Ora, este ano calhou um livro com uma capa apelativa, um título sugestivo, uma linguagem acessível ao público-alvo, um enredo interessante, uma história que pode ser a de qualquer jovem dos dias de hoje, que aborda temáticas tão variadas, de áreas distintas como são as da Filosofia, da Biologia e da Literatura.
O resultado foi muito além desta conferência e está no coração, na mente e no contributo para o processo de aprendizagem de cada aluno.

Carla Araújo (Professora organizadora e moderadora do evento)

sábado, 14 de abril de 2012

REPORTAGEM «FELICIDADE EM ALMADA» - ANTES DA CONFERÊNCIA


O almoço na Praça João Batista, com a "companhia" de Julián Marías e a sua filosofia.


Lá fora, o café na esplanada, com vista para o Tejo.

REPORTAGEM «FELICIDADE EM ALMADA» - A CONFERÊNCIA NO FÓRUM MUNICIPAL


Na sua conferência, Dr. Jorge Humberto Dias colocou para debate, a seguinte questão: «Será possível EDUCAR para a Felicidade»?


Na mesa, a moderadora e organizadora da Conferência, Dra. Carla Araújo e o escritor Ricardo Antunes.


REPORTAGEM «FELICIDADE EM ALMADA» - DEPOIS DA CONFERÊNCIA


Um passeio de barco no Tejo, com o Arco Íris no horizonte, porque falámos da cor da felicidade...
 

quinta-feira, 12 de abril de 2012

sexta-feira, 6 de abril de 2012

11th INTERNATIONAL CONFERENCE ON PHILOSOPHICAL PRACTICE





De 2 em 2 anos, realiza-se a Conferência Internacional de Prática Filosófica. Em 2010 foi na Holanda. Este ano, 2012, será na Coreia do Sul.

Faça o download do Regulamento do Congresso AQUI

Recordamos que a primeira conferência internacional foi organizada por Lou Marinoff e Ran Lahav, na British Columbia University, em 1994.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

AÇÃO DE FORMAÇÃO PTE2012 - QIM NO ENSINO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS


Estão abertas as inscrições para a Ação de Formação «Quadros Interativos Multimédia no Ensino das Ciências Sociais e Humanas».

Créditos: 0,6

1ª Sessão: Setembro de 2012

Formador: Dr. Jorge Humberto Dias

Local: Escola Secundária Pinheiro e Rosa (Faro)

Vagas: 20

Contactos:

WEB - http://centroriaformosa.blogspot.com

FAX: 289 826007

EMAIL: cffaro@esjd.net  

terça-feira, 3 de abril de 2012

O PROBLEMA FILOSÓFICO DA «COMPETIÇÃO»






"(...) o treinador do Real Madrid [José Mourinho] reconhece que ter inimigos «não é crucial, mas é melhor. «Especialmente nos momentos de sucesso, em que há tendência para relaxar», sustenta, ressalvando que isto se restringe ao futebol. «Desde criança que, em competição, também os meus amigos são inimigos naquele momento. A adrenalina é algo de que o teu corpo precisa, e para evitar o relaxamente prefiro ouvir o barulho dos inimigos."

 FONTE: Mais Futebol