sexta-feira, 30 de maio de 2014

"DOCTOR JORGE HUMBERTO DIAS PUTS HAPPINESS IN THE SPOTLIGHT", by Maria Lima



It happened last Wednesday, April 9th at the University of Algarve. Presented by PHD Jorge Humberto Dias, the theme was “Skills to Happiness”. Expert in a subject that is nowadays becoming extremely fashionable, he is the first doctorate in Portugal studying and trying to bring to the general public a better understanding of WHAT happiness is, and HOW we should aim to reach it.
Coming across as a happy communicator, he presented to the audience Happiness from the point of view of the expert. Not only did he share curiosities, like the colour that is linked with happiness (orange), the flower representing this concept (orange lilies), publicity, movies and music where we come across this subject, but also the growing importance this matter has nowadays. He highlighted that, for the 1st time in history, United Nations accepted a proposal from Butan, and declared the past 20th of March the official date to celebrate Happiness. Bringing up the position of other disciplines towards Happiness, like Neuroscience, Psychology and Philosophy, he showed that the same word can change in meaning, bringing different concepts of the same reality according to the scope, beliefs and perspectives behind it.
Based in what he calls the «PROJECT@ Method», he points several skills as key to the success of every individual project. From this point of view it is possible to every single person to pursue happiness in a very practical and rational way. In consequence, he presented to the audience what he called the equation for happiness (Fx=Px+Cx) and supported this PROJECT@ with a specific methodology framed by 6 distinct points.
Supporting his studies and further conclusions on previous work developed by Julian Marias (contemporary Spanish thinker that died in 2005), Professor Jorge Humberto Dias highlighted that this Philosopher was the one that spent more time about Happiness. Devoting a great part of his life studying this subject, his work is presented in more than 300 pages, which makes him one of the key figures in the academic world. Pointing important factors that can affect this Project, he mentioned envy, egoism, lack of freedom, materialism and precarious organizational conditions (family, work, community) as elements that can compromise the success of the Project.
Doctor Dias is now on the process of studying envy in more detail and further studies might be presented in the future. According to his words envy is “an extremely powerful element that can undermineany chance of success and can jeopardise any potential Project”.
According to the words of Professor Jorge Humberto Dias, there are several skills that he feels essential to the success of each Project: a deep understanding of the new technologies, languages knowledge (e.g. English), autonomy, creativity and objectivity, side by side with a certain level of specialization, a balanced pears network and a relevant CV/ Presentation letter.
Just before he finished, and bearing in mind the group of students standing in the audience, hehighlighted the extreme importance, in an extremely competitive society,of standing out from the crowd in a positive way.
After all, happiness is something achievable but requires a certain amount of hard work, rationality and self-knowledge.  The tools are out there to be used and it’s up to the individual to gain the necessary expertise to be happy in an effective way. 

Maria Lima

















VÍDEOS IN PORTUGUESE:

Part 1

Part 2

Part 3 to 5...

segunda-feira, 26 de maio de 2014

JORGE HUMBERTO DIAS NO V ENCONTRO DA RETSA (22 DE MAIO DE 2014)


AUDITÓRIO MUNICIPAL DE LAGOA.

TEMA: EMPREENDEDORISMO SOCIAL.

WORKSHOP "EDUCAR PARA A FELICIDADE" EM LOULÉ A 6 DE JUNHO


Mais informações: http://www.querotemuito.org/educar-para-a-felicidade/

domingo, 25 de maio de 2014

terça-feira, 13 de maio de 2014

terça-feira, 6 de maio de 2014

"A TEORIA DE RAN LAHAV PARA O ACONSELHAMENTO FILOSÓFICO", por Rosa Oliveira


Resumo crítico do Workshop ministrado por Ran Lahav


O Aconselhamento Filosófico contemporâneo assenta, principalmente, na ideia de que a Filosofia ajuda/orienta à resolução de problemas quotidianos das pessoas, respondendo, desse modo, às suas necessidades filosóficas. Por conseguinte, muitos conselheiros filosóficos orientam a sua prática para a resolução de problemas concretos. Por exemplo: ajudar alguém a escolher uma carreira profissional; ajudar a resolver problemas de relacionamento amoroso ou superar a solidão. Na perspetiva de Ran Lahav este modo de conceber a prática filosófica toma de empréstimo a matriz de trabalho da Psicologia e das Psicoterapias. Para Lahav posicionar a Filosofia para a satisfação de necessidades é colocá-la como parte do espirito pragmático atual e, remeter o papel do filósofo ao de um “fornecedor de serviços” que se adapta para atender às necessidades do cliente. Deste modo, o filósofo é apenas “mais um” dentro da economia de mercado, ajustando a sua prática às exigências desse mesmo mercado, bem como às necessidades declaradas pelos clientes. Nada há de errado, defende Lahav, em querermos melhorar a vida das pessoas; porém, aquele posicionamento da Filosofia não é o sentido original da Philo-sophia. A Philo-sophia deve ser a crítica das necessidades percebidas pelas pessoas e não um “satisfazer de necessidades”. Para Lahav a Philo-sophia não produz soluções, evoca espanto e questiona tudo o que é “normal”. A intencionalidade profunda do filosofar radica na busca da “sabedoria” e não na resolução de “pequenos assuntos da vida quotidiana” de um cliente com vista à sua felicidade e contentamento. Portanto, o objetivo do filosofar não é “resolver problemas” mas antes “trazê-los à vida”. A Filosofia “não resolve desconcertos”, melhor: “semeia desconcertos”. Com efeito, a prática filosófica deve “desenvolver a nossa auto-compreensão”, “consciencializando as questões básicas com as quais nos confrontamos na nossa vida”, possibilitando a nossa transformação. Ou seja: deve ser uma possibilidade para a elevação da vida, colocando-a em diferentes coordenadas. É este o “amor à sabedoria” que a prática filosófica deve promover, para que possamos viver, filosoficamente e, nao apenas, pensar filosoficamente. Ran Lahav mostra através da alegoria da caverna de Platão que o objetivo da prática filosófica, nao será o de “tornar a vida na caverna mais confortável”, mas “sair da caverna”. Porém, temos de entender a “nossa caverna” para “sair dela”. Este é o processo que a prática filosófica deve operar: “mapear a caverna.” É necessário, segundo Lahav, entender a nossa caverna: o “perímetro” emocional e racional de atuação na vida. As nossas primeiras memórias da infância (cerca de 3) influenciam a construção da personalidade e ajudam a compreender a vida atual, porque elas expressam o “padrão” constitutivo da nossa “filosofia de vida”. Assim, é preciso contextualizá-las na história de vida da pessoa e, sabermos, deste modo, como “sair da caverna”. As nossas memórias representam uma possibilidade de cartografar o caminho com vista à saída da caverna superficial onde nos encontramos. A “transformação” não é fácil, porquanto sentimos a resistência que nos impele a devolver-nos ao “padrão”; uma completa transformação talvez nao seja possível, mas podemos mudar muitos aspetos, tornando-os mais profundos. Conseguindo aquilo que Lahav designa por “plenitude” de vida.

Rosa Oliveira
Coordenadora da Página: "A Consultoria Filosófica em Portugal"

https://www.facebook.com/pages/Consultoria-Filos%C3%B3fica-em-Portugal/267044133471225?ref=ts&fref=ts

Colaboradora do Gabinete PROJECT@
Certificada de Nível 1 (PIFEC) em Consultoria Filosófica


segunda-feira, 5 de maio de 2014

REPORTAGEM DO WORKSHOP DE RAN LAHAV EM LISBOA

Decorreu hoje em Lisboa o Workshop de Ran Lahav sobre "As nossas primeiras memórias e a sua utilização no Aconselhamento Filosófico".

Disponibilizaremos no Youtube alguns vídeos sobre o trabalhado realizado ao longo das 3 horas de formação.

https://www.youtube.com/watch?v=qg0G08VolMM

Entretanto, partilhamos aqui algumas fotos do evento.


Sessão de Abertura do Workshop e Apresentação breve do CV de Ran Lahav.


Plano sobre o grupo de formação.


Fotografia de grupo no final do Workshop.


Ran Lahav (Formador) e Jorge Humberto Dias (Organizador Científico do Workshop)

Nota: mais informações no Facebook do Gabinete PROJECT@, De Jorge Humberto Dias, de Maria Simone Santos e de outros Colaboradores.